Resenha: Querido John, de Nicholas Sparks

Olá, pessoal!

Tudo bem? 

Hoje vou contar pra vocês um pouquinho de como foi essa nova experiência lendo Nicholas Sparks. Eu sempre ouvi comentários do tipo “Nicholas Sparks é muito meloso, eca!” ou “Você não deveria ler, não tem nada demais, é uma história boba e irreal.” 

Bom, pelo que vocês perceberam, eu resolvi desafiar essa opinião de que não deveria ler. Por quê? Primeiramente, porque eu queria ler um livro em alemão que tivesse um vocabulário bem cotidiano, sendo, portanto, mais fácil para ler. E também porque queria me aventurar nessa linha dos romances, que até então, conheci bem pouco!

Imagem

 

O título em alemão é Das Leuchten der Stille, que, traduzindo ao pé da letra para o português brasileiro, significaria “o brilho do silêncio”, o qual é explicado apenas na última página do livro! Então, não posso dizer muito mais que isso, né?

Mas o livro foi escrito em inglês, e seu nome original é Dear John, o que torna a tradução pro português, Querido John, bem fiel! O nome do livro vem do fato de que as personagens principais se comunicam por cartas, e a maior parte delas se inicia com a expressão “Dear John…“.

O romance conta, em suas 400 páginas, a história de John Tyree, que, após ter sido um adolescente rebelde, decide se tornar soldado, tendo seu comportamento transviado corrigido pelo exército do Tio Sam. Durante suas férias, retorna à cidade onde foi criado para visitar seu pai, que vivia sozinho em uma casa com o estilo mais americano que se pode imaginar… A mãe o abandonou ainda quando pequeno, mas o pai jamais comentou algo sobre o assunto. 

Nesse tempo em que passa com seu pai, conhece na praia uma garota chamada Savannah Curtis, universitária totalmente certinha que não bebe, não fuma e ainda passa seu Spring Break construindo casas para uma família sem-teto. 

Imagem

Sim, pensando dessa forma, o livro de Nicholas Sparks é muito idealizado. Savannah é exatamente o que toda moça “deveria” ser, moralmente. E John não pode resistir… Acaba se apaixonando por ela, e eles têm duas semanas de um amor realmente intenso, saindo juntos todos os dias e se divertindo… Até que ele deve voltar para a Alemanha, para uma das bases do exército dos EUA. 

Ele promete ficar apenas um ano e voltar para Savannah, porém, um imprevisto ocorre exatamente quando ele poderia voltar para casa depois de servir ao seu país: o atentado de 11 de setembro de 2001. E aí, realmente, a história começa…

Dotado de extrema sensibilidade e habilidade de prender o leitor, Nicholas Sparks não tem a fama que tem a toa. Gostei bastante do livro, mas devo alertar àqueles que não são fãs de histórias idealizadas e, de certa forma, até inocentes que este livro não é para vocês. Já para quem é fã do gênero e de autoras como Cecilia Ahern, Nora Roberts ou Jojo Moyes, esse é um livro que vale a pena conferir!

Imagem

Em 2010, um filme sobre esse livro foi lançado contando com a atuação de Channing Tatum, como John, e Amanda Seyfried, como Savannah. Também gostei! Mas deve-se lembrar de que livro é livro e filme é filme… Os dois não tem muito a ver, tirando o núcleo básico da história! Pra quem é fã de filmes de romance e comédia romântica, achei uma boa pedida.

E aí, quem vai ler Querido John agora? 

 

 

Advertisements