Da Estante: Contos da Confraria

Olá, pessoal!
Assim como a Bianca, também estive bastante ocupado esses dias, e não conseguimos colocar muitas coisas novas no blog. Mas agora, pretendemos voltar com tudo! (:

Hoje, venho falar sobre um livro que terminei recentemente de ler, chamado “Contos da Confraria”, da editora Bookmakers, o qual recebi de presente da própria Bianca. Adorei receber o brinde, assim como as histórias em si!!
Como o título sugere, é uma coletânea de pequenos contos (algo entre 10-30 páginas cada um), totalizando 12 histórias. O livro é composto em capa dura, e na capa temos 12 símbolos, cada um se referindo a um conto. Cada um foi elaborado por um autor diferente, mas todos eles seguem uma temática meio parecida, soturna e cheia de mistérios. Não sei com vocês, mas eu nunca consegui sentir “medo” lendo uma história, e talvez fosse esse o objetivo de alguns contos do livro. Mas, ainda assim, confesso que existem momentos de expectativa e apreensão – há um conto em especial que aborda profundamente a crueldade mesmo, o que me chamou a atenção positivamente, pela qualidade. Acredite, realmente te prende e te faz arregalar os olhos. Também há pesadas críticas à hipocrisia e a outros comportamentos humanos viciosos que estamos acostumados a ver por aí.
2013-04-16 17.00.33
Não vou negar, nem todos os contos são iguais em qualidade. Alguns certamente sâo bem mais geniais. Outros, em minha opinião, “apelaram” demais por assim dizer, colocando vulgaridade excessiva, por exemplo. Houve também uns 2 ou 3 contos em que o final me pegou completamente desprevenido. Talvez por estar acostumado a ler livros extensos, eu imagino um grande enredo de possibilidades, e, nestes casos, aconteceu de terminar de repente, o que me surpreendeu. Nem sempre isso foi ruim, vale salientar. Também tive a impressão de que em alguns contos o autor se envolveu bastante pela história, mas se viu obrigado a remendar um final rápido, talvez por limitações na quantidade de páginas.
Ainda assim, adorei a experiência global. Havia anos que não lia uma coleção de contos, e é algo interessantíssimo, pois cada autor escreve de um jeito diferente, com características diferentes, o que torna a leitura extremamente fluida. Gostei bastante também das descrições dos autores. Foram bem medidas; raramente houve muuuito descritivismo, e mesmo quando houve, combinou completamente com a história em si. Em geral, achei os contos do final do livro melhores que os iniciais, sem razão aparente. Também é legal o fato de termos a liberdade de ler os contos fora de ordem, talvez por ter achado algum título mais interessante, por exemplo.

Como é um livro de contos, achei cabível compartilhar partes de algumas histórias, algumas das quais achei mais legais.
A primeira é entitulada “44”, e fala sobre um garoto que viveu sua vida inteira trancafiado numa grande estação, onde realizavam uma série de experimentos com ele, praticamente diariamente. A história começa quando há uma pane geral no local e ele é finalmente libertado por um estranho que diz coisas que desafiam o senso-comum do menino, que nunca escutara nada contrário ao que foi treinado a fazer. Ele então, através de medo, angústia e raiva, descobre que possui poderes sobrenaturais e inicia uma tentativa de fuga da complexo espacial. Não contarei os detalhes, mas digo que gostei bastante. Vale lembrar que tudo isso ocorre em um conto de menos de 30 páginas.
A outra chama-se “Pesadelos Famintos”, e narra o apocalipse do planeta terra, através de uma invasão e subsequente infestação alienígena, que estamos até acostumados a ver no cinema. As imagens que surgem na cabeça são fantásticas. O narrador descreve tudo, como aconteceu, enquanto revela que ainda esá vivo no final, e que surpreendentemente sobreviveu ao ataque, fechando com um tom até cômico, diria.
Outra, chamada “Fogo de Domingo”, conta a história de um homem que fazia parte de um bando de cangaceiros que buscavam vingança de um coronel da região, por ter massacrado um grupo de colegas no passado. Eles descobrem, entretanto, que nâo foi o coronel que fez o ato, e sim uma espécie de monstro do sertâo. A história é muito bem contada, e achei criativo o começo do conto e como ele se amarra ao enredo.
“Renascimento” volta na história até a Itália renascentista e conta a história de um viajante que foi parar em Florença e se envolveu com a família da estalagem em que ficou. O final da história surpreende bastante.
Como podem ver, os contos sâo bem diferentes entre si, mesmo mantendo a temática do terror e da ficção; achei isso bastante interessante.
Por fim, queria dizer que adorei a experiência e que pretendo ir atrás de mais livros de contos. O que mais gostei foi a liberdade que um conto nos dá, de recriar na imaginação todo o universo que antecede o conto, e o que acontece depois, já que muitos finais sâo abertos. Recomendo totalmente o livro! Muito obrigado pelo presente (:

Espero que tenham gostado!
Até mais,

Advertisements

One thought on “Da Estante: Contos da Confraria

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s